Dicionário Feminista #51 – Aniversário

Ilustração de uma mulher se abraçando, remetendo o autocuidado
Dicionário Feminista #50 – Autocuidado
29 de outubro de 2020
Quarta Parede #140 – A Cor Púrpura
5 de novembro de 2020

Dicionário Feminista #51 – Aniversário

Ilustração de um bolo e um presente de aniversário

Ilustração de um bolo e um presente de aniversário

Nesse programa nós vamos falar de um termo que não tem nada a ver com feminismo, mas que tem tudo a ver com esse podcast . Hoje vamos falar de ANIVERSÁRIO.

Esse termo é resultado da junção das palavras em latim “annus”, que significa ano, e “vertere”, que significa voltar. O ritual de comemorar o dia do nascimento de alguém começou a ser praticado na Roma antiga. Nessa época, as comemorações ainda não contavam com itens hoje considerados essenciais em uma boa festa de aniversário: o bolo e as velas. Foi na Grécia que tais elementos foram acrescentado a tradição em forma de oferenda a deusa da caça e da lua, Artemis. Porém, essas festas eram permitidas apenas entre as classes privilegiadas da sociedade, não sendo uma prática muito comum entre pessoas que não fossem da elite.

O aniversário foi visto pela Igreja Católica como um ritual pagao até o século 5, quando a própria instituição aderiu à comemoração do dia do nascimento de Jesus. Foi durante a Idade Média que essa prática se popularizou principalmente entre os camponeses na Alemanha.

Acreditava-se que no dia do aniversário de alguém, a pessoa estaria mais suscetível aos males que os espíritos ruins pudessem causar. Por isso, era importante que ela estivesse rodeada da família e dos amigos nessa data a fim de protegê-la de tais perigos desconhecidos. Porém, as festas de aniversário da forma que conhecemos hoje, se tornou comum apenas no século XIX, após a Alemanha ter organizado um festival comemorativo coletivo.

Depois de termos o bolo, as velas e os convidados definidos, ficou faltando apenas a música. No final do século 19, duas professoras nos Estados Unidos criaram a música “Happy Birthday to You”, a qual foi lindamente traduzida em 1942 para o portugues “Parabens a Voce”, pela poetisa Bertha Celeste Homem de Melo.

Aperta o play pra ouvir o episódio em que comemoramos um ano do Dicionário Feminista!

* Notas de rodapé desse episódio:

* Fontes usadas nesse episódio: